Sonos e sonhos, um caminho para a saúde completa


Durante o século passado, foram feitas tentativas para resolver este enigma que requer o nosso descanso noturno e as implicações que este tem para a nossa saúde.
Nos últimos anos as clínicas de sono têm prosperado como solução para as repercussões de anomalias tanto na quantidade (sonolência excessiva, insónia) como na qualidade (patologias noturnas) do sono.
Essas unidades multidisciplinares estudam cada caso específico e tentam corrigir os parâmetros que levam ao sono não saudável, que se pode tornar num maior risco de sofrer certas doenças.

Sono de 6 horas

No nosso inconsciente coletivo encontra-se a crença de que o sono requer cerca de 8 horas de descanso. Todos conhecemos alguém que dorme menos tempo e se sente perfeitamente bem.
Nesse sentido, uma investigadora da Universidade da Califórnia em São Francisco (UCSF), Ying-Hui Fu, descobriu que a mutação em alguns genes faz com que as pessoas precisem de seis horas de sono, proporcionando-lhes uma gestão do repouso mais eficiente1.
Este estudo é complementado pelo estudo oposto realizado por Richa Saxena do Massachusetts General Hospital2, que relacionou os genes que promovem a insónia com genes que aumentam a probabilidade de sofrer de doenças psiquiátricas como depressão ou esquizofrenia e até de diabetes tipo 2.
Ambos os estudos apontam que as mesmas mutações que permitem dormir menos podem ser um sinal de um sistema nervoso mais forte e melhor saúde geral.

Os sonhos facilitam o esquecimento

Thomas Kilduff, coautor do estudo e diretor do Centro de Neurociências da SRI International, publicou um estudo3 sobre os fundamentos neurais da aprendizagem e da memória, à procura da função do sono na aprendizagem e na memória, especificamente, se o sono é importante para a consolidação da memória.
A equipa descobriu que durante a fase de sono REM, certas células nervosas parecem contribuir ativamente para o esquecimento. O seu controlo durante o sono pode ajudar os doentes de Alzheimer a abrandar as consequências da sua doença.

Os sonhos consolidam a aprendizagem

Em oposição ao esquecimento criado pela interrupção do sono REM, quando dormimos, temos de 5 a 6 sonhos que nos servem para consolidar o conhecimento quando os sonhamos. Da mesma forma, a memória elimina o conhecimento supérfluo e ordena os conhecimentos.
Por outro lado, o sonho também nos serviria para aprender a enfrentar com antecedência situações que nos causam stressedesconforto ou desafio em um ambiente seguro e com maior criatividade (o ambiente do sono).


Para saber como proteger a sua vida



Sem comentários:

Publicar um comentário

Pages